Revista Inspirese

 


Fique por dentro de todas as últimas notícias e informações sobre bem estar e fitness.

A dieta vegan que entrou pro Guinness World Records

por Time Inspirese em 30 Janeiro 2014

Você pensa que vegetarianos e vegans não têm força física para realizar exercícios de alta performance? Pois saiba que o americano Chris Solarz, de 35 anos, é a prova viva de que você está enganado. Há poucos dias, esse analista de fundos multimercados, escreveu seu nome no livro de recordes mundiais Guinness World Records após correr 77.07 milhas (cerca de 124 quilômetros) em uma esteira elétrica, em 12 horas - das 7 da manhã às 7 da noite.

E esta é a quinta (!) vez que ele quebra um recorde: foram dois por corrida de maratona (individual e em grupo), um subindo escadas (33 mil degraus em 12 horas), um no metrô (passando por todas as 468 estações de Nova Iorque em menos de 23 horas) e um na rota da cerveja (250 bares em 24 horas). Chris Solarz também já correu mais de 200 maratonas e ultra-maratonas em 38 países.

Quer saber o que ele comeu para manter a energia? Então confira a dieta de mais de 5000 calorias que garantiu mais um recorde à Chris Solarz - ele podia parar (e parou) para se alimentar, mas o relógio seguia a contagem sem parar.


Noventa minutos antes:

•  3 porções de mingau de aveia

•  1 banana

•  1 barra energética (PowerBar sabor frutas vermelhas)


Durante:

•  8 bananas

•  8 tortilhas integrais com pasta síria

•  14 garrafas de 600ml de bebidas energéticas

•  3 garrafas de 600ml de água

•  4 barras energéticas (PowerBar)

•  14 géis de carboidratos

•  1 sanduíche com pão integral, manteiga de amendoim e geléia

•  2 barras energéticas (KIND Bars)


Noventa minutos após:

•  1 tigela de comidas indianas: dal com arroz, curry de grão-de-bico, biryani e pão naan.


Algum vegetariano ou vegan gostaria de comentar o que come antes e após o treino? Ou, quem sabe, está se preparando para quebrar algum recorde?




Cookie de chocolate sem glúten e sem lactose (e delicioso!)

por Time Inspirese em 29 Dezembro 2013

Seja por opção ou por questões médicas, muitas pessoas têm adotado uma dieta sem glúten e sem lactose. No entanto, nem por isso é preciso se abster de prazeres como um delicioso cookie de chocolate. Duvida? É só testar a receita abaixo:

Ingredientes:

• 310g de farinha de trigo sem glúten

• 35g de fécula de batata

• 200g de margarina light

• 1 colher de sopa de goma xantana

• 1 colher de sopa de bicarbonato de sódio

• 140g de açúcar branco

• 170 g de açúcar mascavo

• 1 clara de ovo

• 40g de óleo vegetal

• 2 colheres de sopa de leite de amêndoa

• 1 colher de sopa e meia de extrato de baunilha

• 140g de raspas de chocolate vegano semi-adoçado


Modo de preparo:

Em uma tigela média, coloque a farinha de trigo, a fécula de batata, a goma e o bicarbonato. Reserve. Em uma tigela grande, derreta a margarina e misture os açúcares. Adicione o óleo, o leite, a clara e misture tudo. Aos poucos, vá acrescentando o conteúdo da tigela média e misture bem. Cubra a tigela e deixe no refrigerador por pelo menos 1 hora.

Aqueça o forno a 148 graus C. Coloque papel manteiga em uma assadeira de biscoitos grande e plana. Use uma colher para retirar o tamanho da massa de biscoito que você quer da tigela e coloque-o sobre o papel manteiga (lembre que, quanto maiores forem os cookies, maior será o tempo de cozimento). Leve ao forno por cerca de 20 minutos ou até dourar nas bordas. Deixe esfriar fora do forno por pelo menos 5 a 7 minutos antes de retirar os cookies. Sirva.

Gostou? Conte os resultados e compartilhe outras receitas sem glúten ou sem lactose.



Acabe de vez com o efeito sanfona

por Time Inspirese em 27 Dezembro 2013

Ninguém quer fazer dieta para sempre. Mas, para a maioria de nós, isso parece ser impossível de evitar – a outra opção é engordar tudo de novo e cair no efeito sanfona. Só que não, isso não é verdade. É possível sim, manter a disciplina e ingestão de calorias diárias necessárias para o correto e saudável funcionamento diário do nosso organismo. E para isso, basta você ficar atento nos principais erros que cometemos com o fim da dieta:

1. Esquecer da matemática

Para manter o peso, é preciso estar de olho nos dias em que você segue com a sua nova rotina alimentar e nos dias em que você se dá o direito de exagerar. A matemática pode ser feita no final do mês, calculando a percentagem a mais ou a menos de cada dia e observando o impacto disso na sua ingestão média de calorias.

2. Achar que já pode comer de tudo

Você já atingiu seu peso ideal e quer mantê-lo. Se você fez isso da maneira correta, você aprendeu a distinguir o que tem valor nutricional do que não tem. Ou seja, você atingiu um nível de reeducação alimentar e sabe que trocar o almoço por um pedaço gigante de torta e refrigerante faz mal para a sua saúde, mesmo que você queime tudo depois e não engorde. Sim, agora você pode se dar ao luxo aqui e ali de uma sobremesa generosa, mas após uma refeição saudável.

3. Desconsiderar a rotina de exercícios físicos

Se você não vai fazer exercícios hoje, é dia de comer menos. Vai ter um dia super agitado, com festa, trabalho, academia? Você vai precisar de energia extra para isso, por isso coma mais. A sua atividade diária deve ser compatível com o número de calorias ingeridas para que você se mantenha saudável. O que acontece é que, geralmente, comemos mais nos fins de semana, quando nos movimentamos menos, e acabamos engordando.

4. Esquecer que a balança vai subir um pouco

Sabe aquele peso que você perde rapidinho na primeira semana da dieta, mais ou menos uns 2 quilos? Ele volta rapidinho no fim da mesma também. Isso porque o que você perdeu foi basicamente água e outros componentes menores que são parte normal do seu organismo. Então não há nada de errado no fato dele voltar depois, apenas lembre de inclui-lo na sua conta da perda de peso no final (ou seja, se você quer ficar nos 60 kg, pare a dieta ao chegar aos 58kg, mais ou menos).

5. Não sendo realista

Existem pontos sérios a serem levadas em consideração, como o seu ritmo de vida, sua constituição óssea e muscular e o nível mínimo de gordura corporal. Se você não tem músculos subabdominais possíveis de crescer, eles não vão aparecer, não importa o quanto você queira ter uma barriga tanquinho. Lutar contra essas coisas é perda de tempo e você ainda corre o risco de ficar doente.


Técnicas para manutenção do peso

Para fazer uma manutenção correta, pese-se e tire medidas e fotos de si mesmo no fim do mês, por três dias seguidos. Os três dias são necessários para identificar possíveis flutuações causadas por fatores hormonais ou emocionais, por exemplo. Compare esses dados com os dos meses seguintes e eles devem ser (quase) idênticos ou apresentar uma melhora em definição ou massa magra.

Se houverem mudanças indesejadas e visíveis, reajuste sua dieta e exercícios. Considere ainda a possibilidade fazer um único dia de dieta por semana, principalmente se você sabe que está chegando um período de consumo maior de energia ou de calorias, como férias e comemorações.

O mais importante de tudo isso é você lembrar de que perder peso não aconteceu do dia pra noite, mas ganhá-lo de volta pode ser bem mais rápido do que gostaríamos. Não deixe que todo seu trabalho vá por água a baixo por conta de um exagero aqui e ali todos os dias. E, se isso acontecer, volte a sua dieta imediatamente, pois é muito mais fácil perder 2 quilos extras do que 20. E tenha em mente de que, mesmo que seu peso esteja ideal, você deve continuar a comer de forma correta pelo bem da sua saúde e não apenas por uma questão estética.

E você, o que tem feito para manter o seu peso? Ou o efeito sanfona parece inevitável? Compartilhe suas experiências e dúvidas conosco.




Desvende 5 mitos sobre alimentação saudável

por Time Inspirese em 27 Dezembro 2013

O mundo está cheio de pesquisas que nem sempre são conclusivas. Lembro bem do tempo em que bastava alguém aparecer na TV dizendo algo sobre o último estudo da tal universidade para eu acreditar que era verdade. No entanto, quem já passou por uma faculdade, ou simplesmente sabe como pesquisas são feitas, entende que nem sempre uma análise é 100% conclusiva ou aplica-se à sua vida em particular. Ciente disso, vamos listar 5 mitos sobre alimentação saudável que você precisa entender com mais clareza:

Mito: Comer muita proteína vai prejudicar seus rins

Não há nenhuma prova científica de que uma dieta proteica prejudica a função renal. A preocupação em manter o nível ideal de trabalho dos rins é correta, porém não é a proteína em si que pode criar um problema, e sim a quantidade dela (ou de qualquer outra coisa). Assim, Para ter certeza de que não vai se complicar, mantenha a regra de ingerir um máximo de 1,27 gramas de proteína por dia para cada 0,450g do seu peso total.

Mito: Batata-doce é mais saudável do que batata inglesa.

O problema não é a batata inglesa, e sim o que faz com ela: a batata frita, o salgadinho, o purê cheio de manteiga e leite integral, etc. E aí você conclui que batata inglesa engorda. Já a batata-doce sempre vai pra uma salada, uma sopinha e outras receitas leves, não é mesmo? A batata inglesa é rica em minerais, como ferro, magnésio e potássio, podendo trazer benefícios para a saúde se consumida na forma correta e em moderação.

Mito: Carne vermelha causa câncer

Apesar de haverem estudos que relacionam carne vermelha ao câncer, estes estão longe de serem conclusivos. E o estudo japonês que indicou algo a esse respeito apontou especificamente o cozimento excessivo em alta temperatura como um problema. Na dúvida, continue grelhando sua carne, tendo o cuidado de descartar as partes que queimaram ou secaram durante o processo.

Mito: Xarope de milho é mais perigoso do que o açúcar comum

O xarope de milho, muitas vezes chamado de xarope de glicose, foi acusado de aumentar o nível de gordura no sangue por um estudo da universidade da Califórnia. Mas, por ter sido este um trabalho isolado, há ainda muito o que se discutir a respeito. O ideal, nesse caso, é manter-se longe de refrigerantes, além de sucos e de sobremesas industrializadas. De qualquer forma, todos esses itens, não importando o tipo de açúcar utilizado na sua produção, são de pobre valor nutricional, e não devem ser presença constante em sua dieta.

Mito: Sal causa hipertensão e deve ser evitado

Pessoas hipertensas podem se beneficiar com a diminuição do sal na comida, mas, se esse não é o seu caso, você não precisa cortar o sal de sua vida, e sim, melhorar o balanço entre este e o consumo de potássio - a ausência deste mineral no corpo pode ser tão prejudicial quanto o alto consumo de sal para a pressão arterial. Assim, invista em alimentos ricos em potássio, como espinafre, brócolis, banana, batata inglesa e feijões.

E você, tem mais algum mito para acrescentar?




Sobremesa (light!) de abacate e banana

por Time Inspirese em 26 Dezembro 2013

Nesses dias de calor e férias, bate aquela vontade de tomar um sorvete, não é mesmo? Mas, e a dieta, como fica? Pensando nisso, resolvemos buscar uma alternativa deliciosa, refrescante e com apenas 286,33 calorias por porção. Ainda é muito? Exclua o mel e reduza a receita em 70 calorias!


Ingredientes (4 pessoas):

• 800g de bananas grandes congeladas e maduras, cortadas em fatias

• 225g abacate maduro

• 1/4 de colher de sopa de gengibre

• 21g de mel


Modo de preparo:

Corte os abacates ao meio, no sentido do comprimento e descarte a semente. Separe o fruto da casca e corte-o em pedaços médios. Depois, coloque todos os ingredientes no processador de alimentos ou no liquidificador e bata até a consistência de uma vitamina. Derrame tudo em um recipiente de vidro e deixe no congelador por 10 minutos. Após esse tempo, coloque um quarto dessa mistura em um copo de sorvete, acescente algumas rodelas de banana ainda congeladas e aproveite!


Valores Nutricionais:

Proteínas - 3.27g

Gorduras - 8.91 g

Carboidratos - 48.25g

Fibras - 8.98g

Sódio - 6.83mg



Como evitar os quilos (e a ressaca) pós-Natal

por Time Inspirese em 20 Dezembro 2013

As festas de fim de ano sempre deixam quem está fazendo dieta bastante preocupado (para dizer o mínimo). São muitas celebrações, muita comida e bebida, enfim, diversas tentações difíceis de administrar. E como se controlar em um momento em que a ordem é compartilhar? Ou diante de guloseimas que você só vê uma vez no ano?

No caso das bebidas, o perigo mora no fato delas serem convertidas imediatamente em açúcar e de serem frequentemente ricas em calorias. Mas, como ficar longe delas, enquanto todos estão bebendo? Vamos te dar algumas dicas para driblar essa situação (escolha a que mais atende a seu objetivo).

Não quero ganhar nenhuma caloria extra: disfarce, apelando para água com gás com uma fatia de limão. Vai parecer que é um drinque de festa e ninguém vai ficar te perguntando porque você não está bebendo.

Umas poucas calorias a mais não vão fazer diferença: peça uma dose de vodca misturada com gelo e/ou água com gás e uma fatia de laranja ou limão. E fique longe dos coquetéis. Certos coquetéis adocicados podem ser tão calóricos quanto uma refeição, principalmente se forem preparados com sucos concentrados e não com a fruta fresca. Também mantenha distância dos ponches, cervejas e cidras.

Aceito uma parada na dieta, mas sem exageros: escolha champagne (ou outro espumante) ou vinho tinto, mas em pouca quantidade. O vinho tinto é bastante calórico e o champagne vai te deixar bêbado rapidinho.


Quer saber mais detalhes? Confira abaixo a quantidade de calorias de algumas bebidas populares (e as chances de enfrentar uma ressaca no dia seguinte):


Vodca: tem poucas calorias, todas vindas do etanol - cerca de 72 calorias em cada 35 ml. Também é a bebida menos propensa a te dar ressaca no dia seguinte, por conta do seu particular processo de fermentação.

Uísque: tem cerca de 80 calorias por 35ml. A ressaca do uísque é severa, incluindo a ressaca moral, já que a bebida costuma provocar um comportamento mais “espontâneo”. O melhor é evitar bebê-la pura, e sim misturá-la a uma bebida adocicada.

Vinho branco: os aditivos colocados no vinho para mantê-lo branco são os culpados da famosa ressaca causada pelo vinho branco. E cada 175ml da bebida têm cerca de 130 calorias.

Vinho tinto: tem um pouco menos calorias do que o vinho branco, 120 calorias por taça de 175 ml, mas a ressaca é bem pior, graças a presença de metanol, além do etanol. O metanol demora mais a ser processado, tornando a ressaca mais prolongada – ou seja, quando você se cura da ressaca do etanol, começa a do metanol.

Cerveja: a mais calórica, contém até 200 calorias a cada 500ml. Por ter um teor alcoólico menor, o risco de ressaca também cai – porém, pelo mesmo motivo, as pessoas tendem a beber mais copos de cerveja do que de vinho, por exemplo, o que dá na mesma ressaca no fim das contas.

Brandy: como esta é a forma destilada do vinho tinto, pode te dar a pior dor de cabeça de sua vida. Mas, na contagem de calorias, são apenas 80 por dose.

Champagne: sabe aquelas bolinhas lindas? Elas fazem com que o álcool chegue mais rápido ao cérebro, logo você fica bêbado em ritmo acelerado. E cada taça de 175 ml contém 133 calorias.

Lembre de que os resultados podem variar de pessoa para pessoa – alguns são mais propensos aos efeitos do álcool do que outros. E você, tem alguma dica de drinque com baixa caloria para o Natal e Ano Novo?




Boneco natalino de gengibre (com menos de 60 calorias!)

por Time Inspirese em 17 Dezembro 2013

Se você sempre corre das guloseimas natalinas com medo de engordar, saiba que sempre existem alternativas menos perigosas e que não vão te fazer sair da dieta (se consumidas com moderação). Uma delas é o tradicional boneco de gengibre, que tem apenas 56,4 calorias por unidade (66,2 calorias, se você quiser acrescentar um pouco de glacê). Veja a receita que encontramos para você e descubra que o preparo é bem mais fácil do que parece!


Ingredientes:

(Rende 48 bonecos)

• 3 colheres de sopa de manteiga sem sal em temperatura ambiente

• 3/4 de um copo de açúcar marrom

• 1/2 copo de molho de maçã sem açúcar

• 1 ovo

• 1/3 de um copo de melaço escuro

• 3 copos de farinha de trigo integral

• 1 colher de sopa de fermento em pó

• 2 colheres de gengibre em pó

• 1 colher de sopa de canela

• 1/2 colher de sopa de pimenta jamaica

• 1/4 colher de sopa de cravo Glacê (opcional)

• 1 colher de sopa e meia de clara de ovos

• 1/4 de colher de sopa suco de limão fresco

• 1 copo açúcar refinado

• Uma pitada de creme tártaro (ou vinagre branco)


Biscoitos – Modo de Preparo

Em uma tigela grande, bata a manteiga, o açúcar e o molho de maçã até uma consistência macia e uniforme. Acrescente o ovo, o melaço e misture bem. Em outra tigela grande, misture a farinha de trigo, o fermento e os condimentos. Depois, acrescente-os à tigela anterior, misturando bem mais uma vez. A seguir, divida a massa em duas bolas planas. Cubra com filme plástico e deixe-as no refrigerador por, pelo menos, 2 horas.

Pré-aqueça o forno a 175°C. Espalhe uma camada de farinha de trigo na área onde irá trabalhar com a massa. Retire uma única bola do refrigerador (deixe a outra lá mesmo) e abra a massa com um rolo até uma altura de cerca de 6 milímetros. Espalhe um pouco de farinha de trigo no topo da massa se ela estiver pegajosa. Corte os bonecos com a ajuda de um molde próprio para biscoito. Arrume-os em uma assadeira com uma base de silicone não-aderente, com uma distância de de 2,5 a 5 cm entre eles, e asse-os por 10 a 12 minutos.


Glacê

Misture as claras dos ovos com o suco de limão. Acrescente o açúcar refinado, misturando bem. Se achar que está muito fino, acrescente mais açúcar; se estiver muito grosso, adicione uma gota de suco de limão. Coloque a mistura dentro de um saco de confeitar e decore os biscoitos quando já estiverem frios.



Frango marinado em sucos cítricos e coentro

por Time Inspirese em 12 Dezembro 2013

Essa receita de frango grelhado tem apenas 250 calorias, somente 12g de gordura e serve até 4 pessoas. Aproveite!

Ingredientes:

• Um punhado de cebolinhas, cortadas fininhas

• Um punhado de coentro – folhas e talos macios apenas

• 2 dentes de alho cortados

• 1 colher de sopa de raspas de limão

• 1 colher de sopa de raspas de laranja

• 75 ml de suco de limão

• 75 ml de suco de laranja

• 75 ml de molho de soja com sódio reduzido

• 2 colher de sopa de óleo vegetal

• 1 colher de sopa de sal

• 1 quilo de coxa de frango com pele e ossos


Separe um quarto da cebolinha. Coloque o coentro, o alho, as raspas e sucos de limão e de laranja, o molho de soja, o óleo, o sal e o resto da cebolinha em um processador de alimentos ou liquidificador e bata até obter uma consistência aproximada a de um purê. Separe um quarto desse purê. Coloque o restante em um saco plástico selável juntamente com as coxas de galinha e feche o saco. Sacuda o recepiente para que o purê misture-se na galinha. Deixe descansar por pelo menos 20 minutos.

Pré-aqueça a grelha. Retire as coxas de frango de dentro do saco e coloque-as com o lado da pele para baixo em um assadeira com papel alumínio. Grelhe a galinha até estar corada por cerca de 5 minutos. Vire-a de lado e continue a grelhar por mais 15 minutos, até que o cozimento seja completo – caso esteja usando um termômetro, ele estará marcando cerca de 70° C. Sirva o frango grelhado com o tempero marinado que ficou no saco e o restante da cebolinha.



6 itens proibidos na sua alimentação pós-treino

por Time Inspirese em 12 Dezembro 2013

O que acharam das nossas dicas sobre o comer após o treino? Se você perdeu esse post, é só clicar aqui. Claro que existem outras opções e, por isso, para evitar dúvidas, agora vou apresentar para vocês o que você não deve comer quando voltar para casa, evitando assim colocar todo o seu trabalho árduo a perder.

1. Barras energéticas açúcaradas, refrigerantes e sucos artificialmente adoçados.

Você precisa restabelecer o nível de açúcar no sangue, e não sobrecarregá-lo. Os itens acima são ricos nesse item e isso vai desacelarar o seu metabolismo, já que o organismo recebe uma grande quantidade de glicose pronta para estocar. As versões diet também não são uma opção nessas horas, pois seu corpo precisa de algo livre de componentes artificiais. Prefira bebidas sem açúcar ou reidrate-se com água mesmo ou com água de coco.

2. Verduras cruas.

Cenoura e aipo não vão resolver sua necessidade de repor energia e manter o metabolismo estável. Você precisa de uma combinação de proteína em modesta quantidade e carboidrato, presentes, por exemplo, em um pão integral com ovo cozido (não frito), ou um sanduíche de carne magra ou mesmo um punhado de nozes. Se for mesmo adepto das verduras cruas, prepare algum tipo de molho para acompanhá-las, de preferência algo que contenha proteínas e carboidratos, como o iogurte.

3. Muita gordura.

Fique longe de batatas fritas, pizzas e hambúrgueres. Afinal, você está suando para perder gordura, não é mesmo? Quer uma alternativa saudável à batata frita? Clique aqui. Também deixe na geladeira os queijos amarelos e processados, ricos em gordura saturada, o bacon, o salame, o presunto e outros embutidos.

4. Lanches salgados.

A perda de sal é muito baixa durante o treino, por isso concentre-se na proteína com carboidrato. E se você resolver comer algo muito salgado, vai acabar bebendo mais água do que precisa e ficando inchado. Falando em mineral, preocupe-se em repor potássio, comendo uma banana, por exemplo.

5. Doces e balas.

Além do problema com o alto teor de açúcar, esse tipo de guloseima não oferece nenhum nutriente ao organismo. O mesmo vale para os chamados doces de padaria, como sonhos, roscas, biscoitos de polvilho, etc. Se você precisa mesmo de um docinho nessas horas, opte pelo chocolate amargo ou pelo leite achocolatado.

6. Cereais artificiais.

Os cereais matinais vendidos em caixa são processados e perdem boa parte dos componentes durante o seu processo. Costumam também ser ricos em açúcar. Prefira preparar seu próprio cereal, adicionando leite à quinoa, granola, nozes, castanhas ou outros itens de sua preferência.

E então, o que você come e evita comer após o seu treino? Vamos aumentar a nossa lista de opções juntos?




Como contar calorias: o guia definitivo (Parte 2)

por Time Inspirese em 05 Dezembro 2013

Vamos dar continuidade à nossa conversa sobre como contar calorias, respondendo a mais algumas dúvidas frequentes. Caso você tenha perdido a primeira parte, é só clicar em Como contar calorias: o guia definitivo – Parte 1.

Como calculo o tamanho das minhas refeições?

Primeiro, você tem que determinar para quantas pessoas você estará cozinhando e, assim, poder definir a quantidade de ingredientes necessária para tal. O próximo passo é pesar cada ingrediente, fazer os cálculos usando a proporção indicada na parte 1 desse guia e anotar os resultados, que devem ser divididos pelo número de pessoas. Outra opção é fazer o cálculo pesando o prato já pronto.

E se eu for comer fora?

Se você tiver a sorte de ir para um restaurante cujo cardápio ofereça a tabela de calorias, você não tem problema nenhum – é só ler e anotar no seu relatório diário. Como essa facilidade é algo raro, esteja preparado para a triste realidade de não saber quantas calorias está ingerindo ao certo. Você pode até perguntar como a comida foi preparada e tentar fazer seus cálculos, mas a verdade é que você dificilmente vai ter uma resposta acurada sobre a quantidade de óleo ou manteiga que foi na fritura. Alguns chefs, inclusive, vão te dizer que a receita deles é segredo profissional. Por isso, o que você pode fazer é uma estimativa baseada na sua experiência em contar calorias e no bom senso.

Devo contar as calorias dos vegetais e frutas que eu consumo?

Depende da quantidade e do tipo que você consome. Folhas verdes têm impacto mínimo e se tudo o que você faz é comer uma salada no almoço e algumas frutas, não se preocupe. Mas, se a sua dieta envolve uma grande número de vegetais e frutas, especialmente os ricos em carboidratos, como ervilhas, cenoura, milho e batata, eles precisam sim ser computados – use para isso a tabela de carboidratos, com impacto de 4 calorias por grama.

Como usar Tabelas de Calorias

Você optar por fazer isso pessoalmente, com um caderno e caneta, ou usar um dos apps para dispositivos móveis à disposição no mercado. É importante ter acesso a esses dados já que, muitas vezes, você irá comprar ingredientes que simplesmente não vêm com informações nutricionais em mercados locais, açougues ou outros pequenos estabelecimentos. Quando for buscar tabelas de calorias, cuidado com a fonte utilizada. Muitas das opções disponíveis na internet não são adequadas ao padrão de vida brasileiro - nem contam com as nossas especialidades. Veja abaixo a lista das fontes recomendadas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) que trazem o valor calórico dos alimentos:

Tabela Brasileira de Composição de Alimentos – Nepa/Unicamp/ MS/MDS - clique aqui.

USDA Nutrient Database for Standard Reference – acesse o site aqui.

E é mesmo (emocionalmente) saudável ficar contando calorias?

Sim, se for por um período determinado e tiver um objetivo concreto. Assim, você justifica para si mesmo a necessidade desse trabalho todo. Depois que tiver atingido a sua meta, você provavelmente já terá se familiarizado com o processo e fará estimativas bem próximas da realidade só de olhar para os ingredientes.