Revista Inspirese

 


Fique por dentro de todas as últimas notícias e informações sobre bem estar e fitness.

Deixe der ser sedentário com esses exercícios

por Time Inspirese em 13 Janeiro 2014

Que é preciso fazer exercícios, a gente sabe, mas também sabemos que nem sempre isso é possível. Muitos de nós mal tem tempo para dormir, enfrentando rotinas agitadas e perdendo longas horas no trânsito. No entanto, a boa notícia é que pequenos exercícios podem ser inseridos na nossa vida diária e, com isso, garantir um certo nível de condicionamento físico. Mesmo que seja por 10 minutos por dia, tente algumas das propostas abaixo - mesmo as que parecem bobas podem te ajudar a deixar o sedentarismo de lado.

Faça compras

Não importa se for o supermercado ou roupas novas, comprar significa andar e isso queima calorias (até 150 em meia hora). Vá a pé ao mercadinho mais próximo para comprar os itens diários, como pão e leite. Para aumentar o gasto calórico, estacione o carro na vaga mais distante que achar e suba escadas em vez de elevadores e escadas rolantes. Pronto para aproveitar o máximo? Suba dois degraus da escada de cada vez.

Limpe a casa

Aspirar, varrer, limpar, queima cerca de 150 calorias por hora. Então, ligue a música e faça isso dançando (e pulando!) para gastar ainda mais. Balance a cesta de roupas para lavar de um lado para o outro do corpo enquanto caminha até a lavanderia e aproveite para trabalhar os músculos laterais.

Cozinhe

Trinta minutos cortando verduras e legumes ou lavando pratos e panelas faz com que você queime 75 calorias. Aproveite para trabalhar os glúteos, contraindo a área. E bata as misturas a mão para fortalecer os músculos do braço.

Mexa-se sentado

Se você passa muito tempo sentado, aqui vai uma dica de exercício rápido: Suspenda os ombos até que eles toquem as orelhas, mantendo abdômen e glúteos contraídos. Sinta a tonificação muscular acontecer e depois solte.

Transporte público

Desça do ônibus ou trem um ponto antes e faça o resto do caminho andando. Se o trânsito estiver lento, é possível que você, inclusive, chegue em casa mais rápido. Se o calçamento permitir, caminhe pelo meio-fio e melhore seu equilíbrio, trabalhando a região abdominal.

Lave o carro

Lavar o carro queima cerca de 135 calorias em 30 minutos. Fique na ponta dos pés para alcançar o teto e agache-se para lavar os pneus – assim você treina as pernas também.

No bar

Vá até o garçom para fazer seu pedido, aguarde por ele e traga você mesmo a bebida até a mesa.

Essas são as nossas sugestões, você tem outras para compartilhar?



3 passos essenciais para realizar suas metas em 2014

por Time Inspirese em 29 Dezembro 2013

Todo final de ano é tempo de fazer uma lista de metas para o ano seguinte, não é verdade? Estamos todos cheios de boas intenções e de energia, o que nos leva a sonhar com um futuro ainda melhor e mais empolgante. Eu sempre faço as minhas anotações, mas confesso que a maioria delas ficam esquecidas no lugar em que as anotei, principalmente as ligadas a perder peso ou fazer mais exercícios físicos. Isso porque essas metas para o ano novo contavam com algumas falhas em comum, que vamos contar agora:

1. Saiba traçar uma meta

A maioria de nós não chegamos aonde queremos porque não sabemos como traçar metas. Uma meta precisa ser específica, mensurável, possível de ser conquistada, relevante e ter um prazo para ser alcançada. Assim, não adianta simplesmente anotar na agenda que quer perder peso no ano que vem, por exemplo, porque, infelizmente, nosso cérebro precisa de muito mais do que isso para fazer a coisa acontecer. Troque “perder peso” por “perder 5kg até junho de 2014, frequentando a academia três vezes por semana antes de ir pro trabalho”. Você vai ver como isso funciona melhor.

2. Defina a sua motivação

Como disse acima, sua meta tem que ser relevante para você. Perder peso só porque todo mundo parece lindo na capa da revista, pode não ser motivo suficiente. Talvez seu motivo seja melhorar sua autoestima, estar em alto estilo no dia do seu casamento, engravidar com segurança, participar de uma maratona, diminuir os riscos de uma doença hereditária. Tenha em mente sua real motivação e lembre-se dela cada vez em que for atacar a geladeira.

3. Busque apoio

Muita gente simplesmente não consegue atingir seus objetivos por falta de apoio. Não apenas em termos de incentivo, mas se o seu parceiro (a) vive de pizza e hambúrgueres, ou seus amigos são os reis da cervejaria, os riscos de fracasso são maiores. Calma, você não precisa excluir todo mundo de sua vida, apenas mantendo constante contato com pessoas que estejam no mesmo barco. Faça amigos na academia pode levá-lo a ir com mais frequência. Contrate um um personal trainer e um nutricionista para acompanhar e avaliar seu desempenho. Procure por comunidade virtuais de apoio. Enfim, crie uma rede de relacionamento focada no seu objetivo.

E você, como vai a sua lista de resoluções para o ano novo?




Acabe de vez com o efeito sanfona

por Time Inspirese em 27 Dezembro 2013

Ninguém quer fazer dieta para sempre. Mas, para a maioria de nós, isso parece ser impossível de evitar – a outra opção é engordar tudo de novo e cair no efeito sanfona. Só que não, isso não é verdade. É possível sim, manter a disciplina e ingestão de calorias diárias necessárias para o correto e saudável funcionamento diário do nosso organismo. E para isso, basta você ficar atento nos principais erros que cometemos com o fim da dieta:

1. Esquecer da matemática

Para manter o peso, é preciso estar de olho nos dias em que você segue com a sua nova rotina alimentar e nos dias em que você se dá o direito de exagerar. A matemática pode ser feita no final do mês, calculando a percentagem a mais ou a menos de cada dia e observando o impacto disso na sua ingestão média de calorias.

2. Achar que já pode comer de tudo

Você já atingiu seu peso ideal e quer mantê-lo. Se você fez isso da maneira correta, você aprendeu a distinguir o que tem valor nutricional do que não tem. Ou seja, você atingiu um nível de reeducação alimentar e sabe que trocar o almoço por um pedaço gigante de torta e refrigerante faz mal para a sua saúde, mesmo que você queime tudo depois e não engorde. Sim, agora você pode se dar ao luxo aqui e ali de uma sobremesa generosa, mas após uma refeição saudável.

3. Desconsiderar a rotina de exercícios físicos

Se você não vai fazer exercícios hoje, é dia de comer menos. Vai ter um dia super agitado, com festa, trabalho, academia? Você vai precisar de energia extra para isso, por isso coma mais. A sua atividade diária deve ser compatível com o número de calorias ingeridas para que você se mantenha saudável. O que acontece é que, geralmente, comemos mais nos fins de semana, quando nos movimentamos menos, e acabamos engordando.

4. Esquecer que a balança vai subir um pouco

Sabe aquele peso que você perde rapidinho na primeira semana da dieta, mais ou menos uns 2 quilos? Ele volta rapidinho no fim da mesma também. Isso porque o que você perdeu foi basicamente água e outros componentes menores que são parte normal do seu organismo. Então não há nada de errado no fato dele voltar depois, apenas lembre de inclui-lo na sua conta da perda de peso no final (ou seja, se você quer ficar nos 60 kg, pare a dieta ao chegar aos 58kg, mais ou menos).

5. Não sendo realista

Existem pontos sérios a serem levadas em consideração, como o seu ritmo de vida, sua constituição óssea e muscular e o nível mínimo de gordura corporal. Se você não tem músculos subabdominais possíveis de crescer, eles não vão aparecer, não importa o quanto você queira ter uma barriga tanquinho. Lutar contra essas coisas é perda de tempo e você ainda corre o risco de ficar doente.


Técnicas para manutenção do peso

Para fazer uma manutenção correta, pese-se e tire medidas e fotos de si mesmo no fim do mês, por três dias seguidos. Os três dias são necessários para identificar possíveis flutuações causadas por fatores hormonais ou emocionais, por exemplo. Compare esses dados com os dos meses seguintes e eles devem ser (quase) idênticos ou apresentar uma melhora em definição ou massa magra.

Se houverem mudanças indesejadas e visíveis, reajuste sua dieta e exercícios. Considere ainda a possibilidade fazer um único dia de dieta por semana, principalmente se você sabe que está chegando um período de consumo maior de energia ou de calorias, como férias e comemorações.

O mais importante de tudo isso é você lembrar de que perder peso não aconteceu do dia pra noite, mas ganhá-lo de volta pode ser bem mais rápido do que gostaríamos. Não deixe que todo seu trabalho vá por água a baixo por conta de um exagero aqui e ali todos os dias. E, se isso acontecer, volte a sua dieta imediatamente, pois é muito mais fácil perder 2 quilos extras do que 20. E tenha em mente de que, mesmo que seu peso esteja ideal, você deve continuar a comer de forma correta pelo bem da sua saúde e não apenas por uma questão estética.

E você, o que tem feito para manter o seu peso? Ou o efeito sanfona parece inevitável? Compartilhe suas experiências e dúvidas conosco.




Desvende 5 mitos sobre alimentação saudável

por Time Inspirese em 27 Dezembro 2013

O mundo está cheio de pesquisas que nem sempre são conclusivas. Lembro bem do tempo em que bastava alguém aparecer na TV dizendo algo sobre o último estudo da tal universidade para eu acreditar que era verdade. No entanto, quem já passou por uma faculdade, ou simplesmente sabe como pesquisas são feitas, entende que nem sempre uma análise é 100% conclusiva ou aplica-se à sua vida em particular. Ciente disso, vamos listar 5 mitos sobre alimentação saudável que você precisa entender com mais clareza:

Mito: Comer muita proteína vai prejudicar seus rins

Não há nenhuma prova científica de que uma dieta proteica prejudica a função renal. A preocupação em manter o nível ideal de trabalho dos rins é correta, porém não é a proteína em si que pode criar um problema, e sim a quantidade dela (ou de qualquer outra coisa). Assim, Para ter certeza de que não vai se complicar, mantenha a regra de ingerir um máximo de 1,27 gramas de proteína por dia para cada 0,450g do seu peso total.

Mito: Batata-doce é mais saudável do que batata inglesa.

O problema não é a batata inglesa, e sim o que faz com ela: a batata frita, o salgadinho, o purê cheio de manteiga e leite integral, etc. E aí você conclui que batata inglesa engorda. Já a batata-doce sempre vai pra uma salada, uma sopinha e outras receitas leves, não é mesmo? A batata inglesa é rica em minerais, como ferro, magnésio e potássio, podendo trazer benefícios para a saúde se consumida na forma correta e em moderação.

Mito: Carne vermelha causa câncer

Apesar de haverem estudos que relacionam carne vermelha ao câncer, estes estão longe de serem conclusivos. E o estudo japonês que indicou algo a esse respeito apontou especificamente o cozimento excessivo em alta temperatura como um problema. Na dúvida, continue grelhando sua carne, tendo o cuidado de descartar as partes que queimaram ou secaram durante o processo.

Mito: Xarope de milho é mais perigoso do que o açúcar comum

O xarope de milho, muitas vezes chamado de xarope de glicose, foi acusado de aumentar o nível de gordura no sangue por um estudo da universidade da Califórnia. Mas, por ter sido este um trabalho isolado, há ainda muito o que se discutir a respeito. O ideal, nesse caso, é manter-se longe de refrigerantes, além de sucos e de sobremesas industrializadas. De qualquer forma, todos esses itens, não importando o tipo de açúcar utilizado na sua produção, são de pobre valor nutricional, e não devem ser presença constante em sua dieta.

Mito: Sal causa hipertensão e deve ser evitado

Pessoas hipertensas podem se beneficiar com a diminuição do sal na comida, mas, se esse não é o seu caso, você não precisa cortar o sal de sua vida, e sim, melhorar o balanço entre este e o consumo de potássio - a ausência deste mineral no corpo pode ser tão prejudicial quanto o alto consumo de sal para a pressão arterial. Assim, invista em alimentos ricos em potássio, como espinafre, brócolis, banana, batata inglesa e feijões.

E você, tem mais algum mito para acrescentar?




35 exercícios que você pode fazer em qualquer lugar – Part 2

por Time Inspirese em 20 Dezembro 2013

Você já praticou as nossas sugestões de exercícios para o corpo inteiro e para pernas no nosso post anterior (se não, clique aqui). Agora, é a vez de conferir as opções - que você pode fazer em casa mesmo, sem custo nenhum - para movimentar peitoral e costas, braços e ombros, e do abdômen.


Peitoral e Costas

21. Golfinho: com joelhos e cotovelos no chão, vá deitando-se para a frente, empurrando os joelhos até que a cabeça esteja em cima das mãos. Puxe os braços para frente e volte à posição inicial.

22. Coice: na posição de apoio, com as pernas juntas, contraia o abdômen. Chute o ar com as duas pernas ao mesmo tempo e mantendo os joelhos dobrados. Repita.

23. Judô: na posição de exercício de apoio, levante os quadris formando um V. Em um único movimento, use os braços para abaixar a frente do corpo até o queixo quase tocar o chão. Depois, puxe a cabeça e os ombros para cima e abaixe os quadris, mantendo os joelhos fora do chão. Volte a posição inicial e repita.

24. Voo reverso: use duas latas ou garrafas de água como halteres. Fique de pé com um pé à frente do outro e o joelho da frente meio dobrado. Com as palmas das mãos frente à frente e o abdômen contraído, dobre-se um pouco a partir da cintura e estenda os braços para os lados, apertando as omoplatas. Repita.

25. Superman: deite-se com o rosto pra baixo, com pernas e braços estendidos ao longo do corpo. Mantendo o tronco o mais parado possível, levante braços e pernas simultaneamente para fazer uma curva pequena no corpo.


Braços e Ombros

26. Triceps: sente-se no chão de costas para um degrau ou algo semelhante, com os joelhos levemente flexionados. Segure a ponta do degrau com as duas mãos. Eleve o corpo esticando um braço no degrau, enquanto o outro é estendido horizontalmente em frente ao corpo. Eleve os quadris do chão, formando um ângulo de 90 graus. Segure a posição por alguns segundo e volte a posição inicial. Troque o lado.

27. Diamante: faça seus exercícios de apoio com as mãos em formato de diamante, o que significa fazer com que polegar e indicadores se toquem.

28. Boxer: com pés separados na altura dos quadris e joelhos flexionados, mantenha os cotovelos próximos ao corpo. Estique um braço para frente e outro para trás. Traga-os de volta e repita o movimento, trocando a ordem dos braços.

29. I, Y, T, W O: deite-se com a barriga para baixo, com braços esticados acima da cabeça e palmas das mãos abertas frente à frente. Movimente os braços formando as letras I, Y, T, W e O, nessa ordem.

30. Círculos: fique de pé com os braços esticados nas laterais do corpo. Devagar, vá fazendo círculos com os braços, da direita pra a esquerda, por cerca de 30 segundos. Depois, faça o mesmo movimento da esquerda para a direita.


Abdômen

31. L: sentado com as pernas esticadas e pés flexionados, coloque as mãos no chão e gire o tronco devagar. Depois, suspenda os quadris do chão, segure por 5 segundos e solte. Repita.

32. T: quando finalizar o seu exercício usual de apoio, mantendo a posição, gire o corpo para a direita e estire a mão direita acima da cabeça, formando um T com os braços e tronco. Retorne à posição inicial e faça um apoio comum. Depois, gire para a esquerda.

33. Prancha dinâmica: comece na posição de prancha, suspenda os quadris o mais alto que puder, depois abaixe-os. Continue esse movimento por quanto tempo puder, mantendo a coluna reta e os quadris firmes.

34. Tesoura: deite-se de barriga para cima com os braços estendido nas laterias do corpo e as palmas das mãos para baixo. Com as pernas estendidas, suspenda os calcanhares a cerca de 15 cm do chão. Suba e desça as pernas rapidamente, em uma altura curta, fazendo movimentos de tesoura, enquanto mantém o abdômen contraído. Continue por 1 minuto.

35. Bicicleta: deite-se com os joelhos flexionados e as mãos atrás da cabeça. Com os joelhos em frente ao peito, traga o cotovelo direito na direção do joelho direito enquanto estica a perna direita. Continue, alternando os lados, como se estivesse pedalando.

Agora é só montar seu programa de atividades com os seus exercícios preferidos acima e no post anterior. E lembre-se de sempre contar com o aconselhamento de um profissional da área, principalmente se você for iniciante. Por acaso você tem outras sugestões de exercícios para fazer de casa para compartilhar?



35 exercícios que você pode fazer em qualquer lugar – Part 1: Corpo inteiro + Pernas

por Time Inspirese em 20 Dezembro 2013

Sinto muito, mas suas desculpas para não fazer exercícios acabam agora. Vamos apresentar para você uma lista com opções de exercícios físicos rápidos que podem ser feitos na sua sala, no hotel, no quintal, sem custo nenhum. Você não terá mais como culpar o preço da academia, a falta de tempo, o clima ruim. Nessa primeira parte, trazemos sugestões de mexem com o corpo e para as pernas. Então, escolha os seus preferidos e comece a se mexer:


Corpo inteiro:

1. Lagarta: fique de pé. Dobre o tronco para baixo e ande bem com os dedos no chão, como as mãos bem próximas aos pés.

2. Pulos: de pé, com os joelhos meio dobrados, pule o mais alto possível e traga os joelhos até o peito, mantendo os braços estendidos. Aterrisse com os joelhos novamente meio dobrados e continue pulando!

3. Bebê: engatinhe, com as mãos e joelhos no chão. Movimente-se devagar, esticando primeiro o braço e o joelho direito, seguidos pelos esquerdos. Mantenha o abdômen contraído e repita o movimento de 8 a 10 vezes.

4. Apoio: otimize o apoio tradicional, empurrando com força suficiente para tirar o seu corpo inteiro do solo. E quando voltar ao chão, repita o movimento imediatamente.

5. Escadas: pegue alguns halteres e suba e desça as escadas enquanto exercita os bíceps.

6. Escalada: ajoelhe-se com as mãos no chão. Traga o pé esquerdo para baixo do peito, mantendo o joelho dobrado, e estenda a perna direita. Mantenha as mãos no chão, contraia o abdômen e troque a posição das pernas com um salto único.

7. Mãos que andam: com joelhos e mãos no chão, abdômen contraído, comece a andar com as mãos, mantendo os dedos dos pés imóveis no chão. A seguir, ande para trás com as mãos até voltar a posição inicial, mantendo a estabilidade e o equilíbrio.

8. Agachamento com apoio: comece na posição de agachamento com mãos no chão. Depois, empurre os pés para trás e assuma a posição de exercícios de apoio. Faça um apoio, e retorne para a posição de agachamento. Salte o mais alto possível entre cada um dos movimentos.

9. Prancha: deite-se no chão com o rosto pra baixo, antebraços no chão e mãos cruzadas. Mantenha a coluna reta e o abdômen contraído. Segure a posição por 30-60 segundos.

10. Prancha turbinada: começando na posição de prancha anterior, mas suspenda o corpo usando uma mão de cada vez. Mantenha a coluna reta e abdômen contraído. Volte à posição inicial e repita o movimento com o outro lado.


Pernas

11. Muro: sente-se devagar com as costas contra a parede até ficar com as coxas paralelas ao chão. Mantenha a coluna ereta e os joelhos exatamente acima dos tornozelos. Mantenha a posição por 60 segundos e repita. Está fácil? Pegue uns halteres e exercite os bíceps ao mesmo tempo.

12. Lunge: fique de pé com as mãos nos quadris e os pés separados seguindo a linha dos quadris. Dê um passo à frente com a perna direita apenas e abaixe o corpo devagar até o joelho direito tocar (ou quase) o chão e dobre-se em 90 graus. Volte a posição inicial e repita o movimento com a outra perna.

13. Agachamento: fique de pé com os pés paralelos. Comece a agachar-se devagar, dobrando seus quadris e joelhos, até que as coxas estejam paralelas ao chão. Não deixe os calcanhares saírem do chão. Levante-se novamente, usando os calcanhares para ganhar impulso.

14. Agachamento revólver: levante-se mantendo os braços retos em frente ao corpo, e suspensa a perna direita, flexionando o calcanhar direito e empurrando os quadris para trás. Depois, abaixe o corpo enquanto mantém a perna levantada. Mantenha a posição por alguns segundos e volte à posição de pé.

15. Agachamento com pulo: faça o agachamento normalmente, mas salte logo em seguida, com os braças erguidos acima da cabeça. Repita 15 vezes.

16. Agachamento com cadeira: fique de pé com os pés separados na linha dos quadris e agache-se até que as coxas fiquem paralelas ao chão. Balance os braços acima da cabeça. Estique as pernas e suspenda o joelho direito, enquanto balança o braço esquerdo por fora do joelho direito. Retorne à posição de pé e repita o movimento completo do outro lado.

17. Step-up: coloque o pé direito em cima de um degrau ou outra área lisa elevada. Eleve-se até que a perna direita esteja estendida e volte à posição inicial. Repita de 10 a 12 vezes de cada lado.

18. Pêndulo: fique de pé com os pés juntos. Eleve um pouco a perna direita. Abaixe os braços e o torso, enquanto estica a perna direita atrás do corpo. Mantenha o joelho direito levemente dobrado e tente alcançar o chão com as mãos. Suspenda o tronco enquanto abaixa a perna direita. Troque as pernas.

19. Pêndulo de solo: com mãos e joelhos no solo, mantenha a coluna reta e o abdômen contraído. Estenda a perna esquerda para trás até que o pé esteja no nível dos quadris e a coxa paralela ao solo. Mantenha o equilíbrio pelo maior tempo possível e troque as pernas.

20. Elevação: de pé, comece a erguer-se devagar, usando apenas os dedos dos pés, até que os calcanhares saiam do chão. Mantenha os joelhos retos e segure a posição por alguns segundos. Volte à posição inicial e repita.

E aí, quais das opções acima, melhor adaptam-se aos seus objetivos? Ficou alguma dúvida sobre como realizar algum dos exercícios? Conte-nos a sua experiência e guarde a próxima parte desse artigo, com exercícios para peitoral, braços e abdômen.




Como evitar os quilos (e a ressaca) pós-Natal

por Time Inspirese em 20 Dezembro 2013

As festas de fim de ano sempre deixam quem está fazendo dieta bastante preocupado (para dizer o mínimo). São muitas celebrações, muita comida e bebida, enfim, diversas tentações difíceis de administrar. E como se controlar em um momento em que a ordem é compartilhar? Ou diante de guloseimas que você só vê uma vez no ano?

No caso das bebidas, o perigo mora no fato delas serem convertidas imediatamente em açúcar e de serem frequentemente ricas em calorias. Mas, como ficar longe delas, enquanto todos estão bebendo? Vamos te dar algumas dicas para driblar essa situação (escolha a que mais atende a seu objetivo).

Não quero ganhar nenhuma caloria extra: disfarce, apelando para água com gás com uma fatia de limão. Vai parecer que é um drinque de festa e ninguém vai ficar te perguntando porque você não está bebendo.

Umas poucas calorias a mais não vão fazer diferença: peça uma dose de vodca misturada com gelo e/ou água com gás e uma fatia de laranja ou limão. E fique longe dos coquetéis. Certos coquetéis adocicados podem ser tão calóricos quanto uma refeição, principalmente se forem preparados com sucos concentrados e não com a fruta fresca. Também mantenha distância dos ponches, cervejas e cidras.

Aceito uma parada na dieta, mas sem exageros: escolha champagne (ou outro espumante) ou vinho tinto, mas em pouca quantidade. O vinho tinto é bastante calórico e o champagne vai te deixar bêbado rapidinho.


Quer saber mais detalhes? Confira abaixo a quantidade de calorias de algumas bebidas populares (e as chances de enfrentar uma ressaca no dia seguinte):


Vodca: tem poucas calorias, todas vindas do etanol - cerca de 72 calorias em cada 35 ml. Também é a bebida menos propensa a te dar ressaca no dia seguinte, por conta do seu particular processo de fermentação.

Uísque: tem cerca de 80 calorias por 35ml. A ressaca do uísque é severa, incluindo a ressaca moral, já que a bebida costuma provocar um comportamento mais “espontâneo”. O melhor é evitar bebê-la pura, e sim misturá-la a uma bebida adocicada.

Vinho branco: os aditivos colocados no vinho para mantê-lo branco são os culpados da famosa ressaca causada pelo vinho branco. E cada 175ml da bebida têm cerca de 130 calorias.

Vinho tinto: tem um pouco menos calorias do que o vinho branco, 120 calorias por taça de 175 ml, mas a ressaca é bem pior, graças a presença de metanol, além do etanol. O metanol demora mais a ser processado, tornando a ressaca mais prolongada – ou seja, quando você se cura da ressaca do etanol, começa a do metanol.

Cerveja: a mais calórica, contém até 200 calorias a cada 500ml. Por ter um teor alcoólico menor, o risco de ressaca também cai – porém, pelo mesmo motivo, as pessoas tendem a beber mais copos de cerveja do que de vinho, por exemplo, o que dá na mesma ressaca no fim das contas.

Brandy: como esta é a forma destilada do vinho tinto, pode te dar a pior dor de cabeça de sua vida. Mas, na contagem de calorias, são apenas 80 por dose.

Champagne: sabe aquelas bolinhas lindas? Elas fazem com que o álcool chegue mais rápido ao cérebro, logo você fica bêbado em ritmo acelerado. E cada taça de 175 ml contém 133 calorias.

Lembre de que os resultados podem variar de pessoa para pessoa – alguns são mais propensos aos efeitos do álcool do que outros. E você, tem alguma dica de drinque com baixa caloria para o Natal e Ano Novo?




Qual o melhor horário do dia para fazer exercícios?

por Time Inspirese em 16 Dezembro 2013

Cada pessoa tem seu ritmo e, além disso, decidir qual o melhor horário do dia para fazer exercícios é uma escolha que depende muito de diversos fatores externos: horário de trabalho ou estudos, a distância de casa até a academia, se você precisa levar filhos para escola, etc. No entanto, caso você possa adaptar-se, existem alguma horas do dia que oferecem melhores resultados para cada objetivo. São eles:


Objetivo: perder peso

Melhor hora do dia: de manhã cedo

De acordo com o American Council on Exercise, quem faz exercícios logo após acordar tende a realizá-los de forma mais concentrada e com maior frequência. Além disso, cerca de 45 minutos de atividade física pela manhã te deixa menos esfomeado, o que permite que você faça escolhas mais saudáveis, e mais ativo, o que vai te fazer gastar mais calorias ao longo do dia. Porém, lembre-se de que seus músculos precisam ser bem aquecidos antes de começar os exercícios, já que você acabou de sair da cama.


Objetivo: ganhar músculos

Melhor hora do dia: fim da tarde ou início da noite.

Nesse período do dia, seu corpo está cheio de testosterona (tanto na mulher quanto no homem) e a temperatura corporal está alta. Você deve estar se sentindo mais forte, mais flexível e sua capacidade respiratória é plena. Isso significa que você está mais preparado para fazer exercícios de força e de obter melhores resultados nessa modalidade de treino.


Objetivo: dormir melhor

Melhor hora do dia: logo após acordar

Fazer exercícios físicos regulares ajuda a dormir melhor, afirmou a National Sleep Foundation. Mas, saindo de casa para fazer exercícios logo após acordar permite que seu cérebro marque melhor o horário de iniciar seu dia e, consequentemente, o horário de terminá-lo. A prática de exercícios matinais também diminui a pressão arterial e ajuda a dormir de forma mais profunda.


Objetivo: estabilizar seu relógio biológico

Melhor hora do dia: meio da tarde

Ainda que os motivos ainda não sejam claros, fazer exercícios após o horário de almoço (e o devido descanso) pode ser uma grande ajuda para pessoas que estão sofrendo com jetlag (a fadiga pós-viagens muito longas através de fusos horários), que trabalham em turnos diferentes durante a semana ou em ambientes muito iluminados. Essas condições fazem com que o corpo confunda dia e noite, prejudicando o seu relógio biológico – e isso pode se contornado com um bom treino na academia no meio da tarde.


Objetivo: competir em uma modalidade esportiva

Melhor hora do dia: mesmo horário, todo dia

Treinando na mesma hora todo dia, você melhora a sua disciplina e torna mais fácil analisar a sua performance, ao descartar o fator horário como influenciador. Você poderá verificar como o seu corpo comporta-se com mais clareza, quais os fatores de estresse, seus pontos fortes, etc., ou seja, terá maior controle sobre pontos essenciais para o seu sucesso.

Você concorda com as orientações? Discorda? Qual o melhor horário de treino para você?




Água de coco é a melhor bebida do planeta

por Time Inspirese em 29 Novembro 2013

Beber água de coco de boa qualidade é um dos privilégios de quem mora no Brasil. O produto pode ser encontrado na maior parte do país retirado do fruto recém-colhido. E é altamente consumido e endeusado, tendo fama de curar de ressaca a câncer. Mas, será isso mesmo verdade? Fomos pesquisar os estudos sobre o assunto e veja o que encontramos: Água de coco reidrata o organismo: vários estudos suportam essa ideia, devido a alta presença de sódio e potássio na água de coco. Por isso, é um excelente substituto aos energéticos e outras bebidas voltadas para atletas.

Água de coco desacelera o envelhecimento da pele: não há estudos definitivos sobre a influência da água de coco no aparecimento de rugas, a não ser referentes à reidratação corporal.

Água de coco previne o câncer: a água de coco é rica em selênio, um poderoso antioxidante, mas isso não significa que possa prevenir o câncer – pesquisas nesse sentido ainda estão em andamento.

Água de coco regula a pressão sanguínea e baixa o nível de colesterol no sangue: as análises sobre isso estão em estágio inicial.

Água de coco é 100% saudável: se comparada com muitas outras bebidas, sim. Possui diversos nutrientes, poucas calorias e é uma ótima fonte de potássio e vitamina C. Porém, é rica em sódio, que, unido ao cloro, transforma-se em sal, por isso não exagere.

Água de coco cura ressaca: não há estudos definitivos sobre isso, além da já citada capacidade de reidratar o organismo, repondo as perdas minerais e de água causadas pelo excesso alcoólico.

Água de coco emagrece: sim, no sentido em que prolonga a sensação de saciedade e te deixa longe da geladeira. De olho nos fatos acima, fica claro que a água de coco é uma excelente forma de reidratar o corpo, repondo água perdida e sais minerais. Pode ainda ser um ótimo aliado da dieta.

Assim, que tal contar com essa ajuda já no café da manhã, experimentando o suco abaixo?

Ingredientes:

1 copo de água de coco

Meia maçã sem casca

Meia pêra sem casca

3 folhas de hortelã




O mito dos alimentos saudáveis

por Time Inspirese em 26 Novembro 2013

Sabe aquele momento em que você percebe que, por mais dieta que você faça, seu peso não muda? Talvez o problema esteja na maneira como você escolhe seus alimentos e define o impacto destes no consumo de calorias diárias. Um estudo realizado por cientistas revelou que, mesmo entre pessoas bem informadas, que gastam horas pesquisando sobre o assunto, existem um grande número de mitos e crenças prejudicando bons resultados na luta contra a balança. E o principal deles é dividir os alimentos em “bons” e “maus”, e acreditar que os chamados alimentos saudáveis protegem contra os não-saudáveis.

Uma pesquisa publicada pelo Jornal de Psicologia do Consumo analisou o comportamento de 934 pessoas, das quais 74% eram mulheres com cerca de 20 a 50 anos. Metade do grupo recebeu refeições compostas apenas por alimentos não-saudáveis (hambúrger; sanduíche de queijo e bacon; almôndegas com linguiça e queijo), enquanto a outra metade recebeu uma mistura de um item saudável (três aipos; maçã orgânica pequena; salada pequena sem molho; aipo e cenoura) com um não-saudável da lista acima. Em seguida, eles respondiam o quanto aquela refeição os preocupava em relação à manutenção do peso, em uma escala crescente de 1 a 5 e sugeriam o número de calorias ingeridas em cada uma delas.

O resultado foi surpreendente: os entrevistados indicaram que a refeição não-saudável continha 691 calorias em média e, quando esta era acrescida de um item saudável, o valor diminuía (ao invés de aumentar!) para 648 calorias. Ou seja, a ingestão de um alimento considerado saudável teria o poder de cortar calorias da refeição. Mesmo quando os dados foram analisados separando em grupos aqueles que costumavam se preocupar com o controle do peso daqueles que não se importavam, a resposta era a mesma, e com números ainda maiores.

Em resumo, tire de vez da sua cabeça os mitos abaixo e perca peso de verdade:

1.  Preocupe-se com o tamanho das porções e quantidades de calorias, em vez de criar grupos de bons e maus alimentos apenas. Esses aspectos devem ser harmonicamente balanceados.

2.  Dentro da mesma perspectiva, não pense que pode comer muito porque vai conseguir queimar tudo na academia depois. A matemática não funciona assim.

3.  Não é porque o alimento tem baixo teor de gordura que você pode exagerar. Esses produtos podem ter mais calorias que os convencionais. Mesmo certas frutas podem ser altamente calóricas, como o abacate e a banana.

4.  Adoçar o café com adoçante artificial para poder comer aquela torta, escolher coca-cola diet para justificar o hambúrguer duplo ou colocar leite desnatado no milk shake de chocolate são formas de enganar a si mesmo.